Governança coorporativa – Uma visão prática dos conceitos básicos – (edição 13 / Ano 02_2018)

Informativos Contábeis-2018018
informativo 2018

Governança Corporativa, o papel da alta administração, a auditoria interna e externa em conceitos e práticas básicas.

O objetivo é apresentar o conceito e a relevância, em linhas gerais, do papel da Governança Corporativa no contexto atual das empresas/cooperativas, bem como a importância desta prática como ferramenta de informação para os sócios administradores. Principalmente, por não ser mais novidade que no cenário corporativo brasileiro, alguns executivos buscam o caminho da fraude e da ilegalidade para atingir seus objetivos, onde por vezes, manipulam resultados para pagar menos impostos, burlam normas e procedimentos, infringindo as leis, sem medir consequências, tornando assim o mercado financeiro frágil perante os olhos dos investidores e da sociedade.

A Governança Corporativa nada mais é que um sistema que envolve proprietários/associados, conselho de administração, diretoria e órgãos de controle que aplicam princípios e mecanismos no dia a dia com objetivos de unir interesses com a finalidade de aumentar o valor da organização, bem como transparecer seriedade, maior transparência agregando valor de mercado e assegurando a sua existência no futuro.

Podemos assegurar que, num contexto abrangente, a governança corporativa prima pela redução de riscos internos e externos, visando o gerenciamento de interesses pelo bem comum dos administradores e, sobretudo, dos investidores. Inclusive, o autor Roso afirma que:

Um conjunto de mecanismos de governança corporativa é composto por conselho de administração, conselho fiscal, auditoria externa, programas de incentivos, monitoramento, mercado de gestores, mercado de membros de conselho de administração e conselho fiscal, mercado de controle de empresas e ativismo dos investidores institucionais”. Roso (2003, apud
SLUMSKI,2008,p.18)

Ele apresenta estes mecanismos divididos em internos e externos. Como órgãos internos destacam: o conselho de administração, auditoria interna e o comitê de auditoria e, como órgãos externos: a governança corporativa, a auditoria externa e o conselho fiscal. Também, salientamos a publicação do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC, 2009) onde diz que:

“A governança corporativa apresenta quatro princípios básicos e definidos pela Transparência,
Equidade, Prestação de Contas e Responsabilidade Corporativa.”

(assim como estão inseridos e são essenciais no trabalho da auditoria interna e externa).

Diante dos conceitos apresentados, gostaríamos de salientar o quão importante é o trabalho da auditoria interna e externa como principal ferramenta da informação, a qual deverá promover estratégias para o bom andamento dos controles da empresa/cooperativa. Este processo deve ser implementado com o envolvimento da administração, Diretoria, gerentes e funcionários, com a finalidade de prover razoável garantia quanto à realização dos objetivos específicos do ambiente corporativo, nas seguintes categorias: observar o alinhamento das ações ao direcionamento estratégico; conceder efetividade e eficiência às operações; obter confiabilidade no processo de comunicação, especialmente por meio das demonstrações contábeis; e assegurar a conformidade com as leis e os regulamentos.

CONTINUA…

Catiuscia Pivetta

Equipe DM
Sócios e Funcionários

DICKEL E MAFFI Auditoria e Consultoria SS

Acervo das Publicações DM

As edições completas dos Boletins Informativos estão disponíveis no Acervo de Publicações DM. Para acessar, clique no botão abaixo, faça seu cadastro, escolha seu título e boa leitura.

Deixe seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: