ASPECTOS QUALITATIVOS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (Edição 28 – Ano 1_2017)

Para encerrar nossa série de publicações de 2017 optamos por tratar dos aspectos qualitativos das demonstrações contábeis, nesta edição. Inclusive, porque logo estaremos empreendendo esforços na realização da última etapa dos trabalhos de auditoria para a emissão do relatório de…

ASPÉCTOS CONTÁBEIS APLICÁVEIS às COOPERATIVAS DE ELETRIFICAÇÃO – (Edição 27 – Ano 1_2017)

Atualmente as hidrelétricas são a principal fonte de energia do país, havendo interligação entre os segmentos de geração, transmissão, distribuição e comercialização. As cooperativas de eletrificação se encontram inseridas nesse contexto através dos contratos de concessão e permissão do poder…

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E NOTAS EXPLICATIVAS DE 2017 – OPERADORAS P. DE SAÚDE – (Edição 26 – Ano 1_2017)

Com a chegada de mais um fechamento anual das demonstrações financeiras apresentamos a seguir os principais aspectos que requer atenção por parte dos profissionais da área contábil e da administração das Operadoras de Planos de Saúde. 1) Modelo das DFs…

EVENTOS SUBSEQUENTES – Parte 2/2 (Edição 25 – Ano 1_2017)

PARTE 2 Retomando o assunto tratado parcialmente no boletim anterior, lembramos que evento subsequente é aquele evento, favorável ou desfavorável, que ocorre entre a data final do período a que se referem as demonstrações contábeis e a data na qual…

EVENTOS SUBSEQUENTES – Parte 1/2 (Edição 24 – Ano 1_2017)

Parte 1 A NBC TG 24 do Conselho Federal de Contabilidade trata do tema “Eventos Subsequentes”. Nesse boletim trataremos desse assunto pela sua importância no processo de encerramento das demonstrações contábeis. Inicialmente vamos apreciar o conceito de evento subsequente ao…

CONTROLE E REGISTRO DOS PRODUTOS AGRÍCOLAS RECEBIDOS DESACOMPANHADOS DE NF (Edição 23 – Ano 1_2017)

A legislação fiscal não ampara o recebimento e a estocagem de produtos desacompanhados de nota fiscal, mas como o objetivo desse boletim é tratar da questão do controle interno e dos registros contábeis

NBC TG 27 IMOBILIZADO – Parte 2/2 (Edição 22 – Ano 1_2017)

A depreciação se constitui na forma de reconhecer o valor depreciável dos bens ao longo de sua vida útil, seja como custo de outros componentes do ativo ou diretamente no sistema de resultado como despesa operacional. Essa forma permite o estabelecimento de uma relação entre o padrão de consumo do bem e as receitas.

NBC TG 27 IMOBILIZADO – Parte 1/2 (Edição 21 – Ano 1_2017)

O tema é disciplinado pela NBC TG 27 do Conselho Federal de Contabilidade, sendo tratado no presente boletim aspectos relacionados ao reconhecimento de itens no imobilizado e também de mensuração, além de diversos conceitos importantes, devendo ser tratado no próximo boletim aspectos relacionados a depreciação e divulgações.

CUSTOS DE PRODUÇÃO E MENSURAÇÃO AO VALOR JUSTO NA SUINOCULTURA (Edição 20 – Ano 1_2017)

A atividade de suinocultura envolve ativos classificados como biológicos, cujo tratamento contábil é disciplinado pela NBC TG 29 (R2) – ATIVO BIOLÓGICO E PRODUTO AGRÍCOLA. O conceito de ativo biológico, conforme a NBC TG 29, é um animal e/ou uma planta vivos, portanto, os suínos, enquanto vivos, enquadram-se no conceito de ativo biológico.

ATIVO BIOLÓGICO E PRODUTO AGRÍCOLA – Parte 2/2 (Edição 19 – Ano 1_2017)

Entre outros requisitos de divulgação a entidade deve divulgar o ganho ou a perda do período corrente em relação ao valor inicial do ativo biológico e do produto agrícola e, também, os decorrentes da mudança no valor justo, menos a despesa de venda dos ativos biológicos. Deve ser divulgada uma descrição de cada grupo de ativos biológicos, podendo ser classificados como consumíveis ou de produção e maduros ou imaturos, além dos seguintes elementos: