O custo dos produtos agrícolas vendidos – (edição 04 / ano 02_2018)

Informativos Contábeis-2018

INTRODUÇÃO

O tema, objeto dessa edição, diz respeito a um dos mais relevantes valores que compõe o resultado das cooperativas agropecuárias, o qual parece não carregar complexidade no processo de mensuração e registro, no entanto, a prática do dia a dia nas cooperativas, especialmente naquelas que possuem uma preocupação maior com a qualidade das informações, tem revelado que merece análise e maior atenção.

Para facilitar o entendimento vamos considerar as definições a seguir, as quais normalmente são utilizadas pelas cooperativas agropecuárias:

•Safras a liquidar – corresponde a obrigação da cooperativa resultante do produto recebido do quadro social para comercialização.

•Valor de liquidação – preço pago aos produtores.

•Estoques próprios – produto que já foi liquidado.

•Produtos em depósito a liquidar – produto recebido, registrado nos estoques, mas ainda não liquidado.

•Variações de preços – efeito das mudanças nas cotações de preços dos produtos agrícolas no mercado ativo, sobre os saldos de estoques ou de safras a liquidar.

•Exposição a riscos de variações de preços – a exposição ocorre sempre que as posições de saldos de estoques e de safras a liquidar não forem idênticas, podendo incidir sobre parte dos estoques ou do safras a liquidar.

•Lotes com produtores – termo utilizado para se referir aos contratos de compra de soja verde firmados entre a cooperativa e os produtores, também denominados contratos a termo.

•Soja verde – soja comercializada através dos contratos a termo.

As cooperativas agropecuárias ainda não adotam critérios uniformes para o cálculo e registro do custo dos produtos agrícolas vendidos. Entre os diversos critérios que atualmente são adotados, destacamos os seguintes:•Valor médio de liquidação, móvel ponderado.

•Valor médio de liquidação, acumulado ao longo do exercício.

•Valor cotado no mercado ativo no momento da venda.

•Valor médio de liquidação para os estoques próprios e cotado no mercado ativo para os produtos em depósito a liquidar.

A Lei 5.764/71, em seu artigo 83, estabelece que a entrega da produção do associado à sua cooperativa significa a outorga a esta de plenos poderes para a sua livre disposição, inclusive para gravá-la e dá-la em garantia de operações de crédito realizadas pela sociedade, salvo se, tendo em vista os usos e costumes relativos à comercialização de determinados produtos, sendo de interesse do produtor, os estatutos dispuserem de outro modo. Dessa forma, a cooperativa agropecuária poderá, em determinadas circunstâncias, vender o produto antes de tê-lo liquidado ou adquirido.

“CONTINUA”…

Deixe seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: